regiaonorte.net
Sem FOTO:1

Ribeira do Porto

integra-se no Centro Histórico do Porto

A Ribeira localiza-se na freguesia de S. Nicolau, junto ao Rio Douro, e integra-se no Centro Histórico do Porto. Dela fazem parte a Praça da Ribeira, popularmente conhecida por praça do cubo; a Rua da Fonte Taurina, uma das mais antigas da cidade; o Muro dos Bacalhoeiros e a Casa do Infante, onde plausivelmente terá nascido o Infante D. Henrique, em 1394

O núcleo original do Porto nasceu no cimo da Pena Ventosa, o actual Morro da Sé, expandindo-se também um aglomerado ribeirinho, nas imediações da confluência do pequeno Rio da Vila com o Rio Douro.  Vestígios arqueológicos documentam que, no período da romanização, se criaram instalações portuárias perto do local onde mais tarde se ergueu a Casa do Infante, cujos mosaicos romanos datam do século IV.

Depois de um franco desenvolvimento a que o Porto assistiu no século XIII , em que a urbe cresceu junto à margem ribeirinha incluindo o sopé da escarpa da Pena Ventosa surgiram dois polos de povoamento: um à cota alta, no morro da Pena Ventosa, em redor da sé, e outro à cota baixa, na Ribeira, ao longo da margem do Douro, ligados por uma malha urbana que se foi adensando. Desenvolveu-se casario, ruas, escadas e vielas, como por exemplo a Rua da Lada, e na margem direita do Rio da Vila o povoado cresceu pela beira-rio de São Nicolau, pela Rua da Reboleira e pela Rua dos Banhos, acabando por atingir o "arrabalde" de Miragaia. O eixo mais antigo que ligava estes dois núcleos seguia pela Rua de D. Hugo, pela Porta das Verdades (da Cerca Velha) e pelas Escadas do Barredo, seguindo o caminho mais curto, mas de declive muito acentuado. Desenvolveu-se mais tarde outro eixo de melhor acessibilidade constituído pelas Ruas dos Mercadores, Bainharia e Escura, ligando à Porta de São Sebastião.

Apesar de todas as transformações que o Porto, no seu todo, atravessou ao longo dos tempos e nomeadamente nos finais do século XVIII, a cidade manteve-se virada para o Douro, vivendo em função do rio, com o centro económico e social nas suas proximidades: Praça da Ribeira, Rua Nova dos Ingleses, Rua de São João e Largo de São Domingos.

A reorganização da estrutura urbana portuense no século XIX condicionada pela lógica das infra-estruturas de circulação, fez com que a Ribeira perdesse a importância e a dinâmica que adquirira até então. Com a construção da Ponte de D. Luís I em 1886, e com a novidade de um segundo tabuleiro à cota alta, a passagem pela Ribeira utilizando a ponte Pênsil, deixou de ser obrigatória. No núcleo antigo, na segunda metade de oitocentos, dá-se uma importante reorganização das vias de trânsito com a abertura de novas ruas, nomeadamente a Rua de Mouzinho da Silveira em 1872, novo eixo mais largo e rectilíneo ligando a Rua Nova dos Ingleses (Rua do Infante D. Henrique) ao Convento de São Bento da Avé-Maria.

No sec. XX e a partir de meados da década de 1970, por via das iniciativas desenvolvidas pelo Comissariado para a Renovação Urbana da Área de Ribeira/Barredo (CRUARB), pôs-se em prática um ambicioso plano de recuperação e revitalização da Ribeira do Porto. Esta actividade foi também decisiva para a apresentação da candidatura do Centro Histórico do Porto à UNESCO para classificação como Património Cultural da Humanidade, em 1991. Enquadrado nesta requalificação da Ribeira, abriram-se numerosos bares e restaurantes .Por ocasião do Porto 2001 - Capital Europeia da Cultura, foram remodelados o pavimento e o mobiliário urbano entre a Ponte D. Luís e o Cais da Estiva, segundo uma intervenção projectada pelo arquitecto Manuel Fernandes de Sá. A Ribeira é hoje e uma das zonas mais visitadas da cidade do Porto. 

 



loading...



COMENTÁRIOS DOS LEITORES


Find more about Weather in Coimbra, PO
Click for weather forecast


NEWSLETTER

Subscrever a newsletter:



Sair da newsletter:

ARRENDA-SE.NET

Quartos, apartamentos, casas, etc

RECADINHOS

Últimos recadinhos dos leitores:

Congratulations for the site. It is very nice to get more informations about Portugal. A beautiful country.
Matheus Smith 2016-07-30 23:39:20


RELÓGIO

Veja que horas são no mundo

NOTÍCIAS

Jornal O PÚBLICO

Michel Combes: “Portugal é um diamante" para a Altice
Na véspera de a ERC anunciar o parecer sobre a compra da TVI, Patrick Drahi trouxe a Lisboa o seu estado-maior para o encontro de quadros anual do grupo Altice. E anunciou a mudança de Meo Arena para Altice Arena.

EDP garante protecção "bem constituída" das linhas eléctricas
Presidente do Conselho de Administração da empresa mostra-se "surpreendido" e refuta as conclusões do relatório do Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais, que refere que o fogo foi causado por "contactos entre a vegetação e uma linha eléctrica de média tensão" da EDP.

Inimputáveis?
A António Costa só nos resta pedir que não nos faça chorar mais, que faça de uma vez o que tem de ser feito. Porque este Governo pode ser popular, mas não pode mesmo ser inimputável. Ou será, senhor Presidente?

“Está na altura de reformular o nosso modelo” de combate a incêndios, diz Costa
Para o primeiro-ministro, assumir responsabilidades não é fazer demissões, mas pôr em prática as propostas da comissão independente e executar a reforma florestal.

Risos madrugadores, férias, contradições e zero demissões
O filme político de mais um dia trágico em que Marcelo andou sempre à frente de Costa e foram ditas algumas frases no mínimo surpreendentes.

Uma comédia chamada Estado português
“O mais fácil para mim seria a demissão”, disse a ministra da Administração Interna. Por favor, faça o mais fácil, e vá-se embora de vez.

NOTÍCIAS

Jornal EXPRESSO

(c) 2014 Portal regiaonorte.net

Termos de Serviço

Privacidade