regiaonorte.net
Sem FOTO:433

Igreja Matriz de Ponte de Lima

Ermida da Irmandade do Espírito Santo

A Igreja Matriz de Ponte de Lima foi edificada na época em que o estilo gótico se encontrava em grande expansão, ocupando no entanto, um lugar relativamente marginal na evolução do estilo em Portugal. Foi terminada em meados do século XV, e, mais tarde, já no reinado de D. Manuel I, no sec. XVI, foi concluída a sua torre, em pedra aparelhada tal como a restante igreja, abrindo-se em quatro ventanas de arco pleno, encimadas por relógios e rematadas por ameias de chanfros.


No mesmo local, existiu outrora uma Ermida da Irmandade do Espírito Santo tendo sido substituída pela actual igreja matriz, já que, com o desenvolvimento da vila limiana, se impôs a necessidade da construção de uma igreja de maiores dimensões.


A fachada principal em empena, apresenta-se dividida em dois corpos por cornija ressaltada, com os vãos rasgados em eixo e é composta por um pórtico e rosácea revivalista neogótica. 

O pórtico é composto de quatro arquivoltas, com decoração vegetalista, algumas contornadas com frisos perlados, assentes em colunelos capitelizados. No corpo superior rasga-se uma elegante rosácea de grande vão, com molduras circulares concêntricas e ressaltadas, algumas igualmente ornadas por friso perlado. No vão desenvolve-se trabalho em pedra radiante. 

À direita do alçado principal, rematado por empena triangular coroada por uma cruz, aparece-nos a torre sineira que foi ampliada no período maneirista, resultando em três naves escalonadas, de dois tramos definidos por pilares com capitéis clássicos e cabeceira tripartida, com capela-mor poligonal e absidíolos rectangulares. Tem coberturas internas diferenciadas, de madeira em apainelados, na nave, e em abóbada de berço de caixotões de cantaria, na capela-mor e transepto. É iluminada escassamente por janelas de volta perfeita, correspondendo à construção primitiva, algumas entaipadas, e por janelas rectilíneas, em capialço, nas naves laterais. O coroamento da torre sineira foi intervencionado na segunda metade do século XIX e, mais recentemente (1932) realizou-se a rosácea neo-gótica, a partir do modelo da igreja de São Francisco do Porto.

O interior da igreja, com coro-alto sobre arco em asa de cesto, com púlpitos confrontantes, adossados aos pilares divisórios das naves, e retábulos de talha maneirista, do tipo nicho, é barroco do estilo nacional. 

Na capela-mor o altar é recoberto, na face principal, por uma talha policroma alusiva à Última Ceia. O altar-mor reveste-se de um grande número de relíquias de santos portugueses e estrangeiros.
Merecedora de atenção é uma Pietà de impressionante expressividade, obra dos séculos XVI-XVII e colocada na Sacristia, assim como um bonito presépio do século XVII.

Os altares laterais de Nossa Senhora das Dores e de Nossa Senhora da Piedade são ambos setecentistas e destacam-se pela riqueza da sua talha.

Com a intervenção dos Monumentos Nacionais em meados do século XX, foram retiradas certas alterações setecentistas, devolvendo ao edifício uma beleza sóbria. De Setecentos sobrevivem os retábulos em esplendorosa talha dourada de 1729, como o da Capela de Nossa Senhora das Dores. Só não é original o painel central, pintado já no nosso século.

 

 

 

 



loading...



COMENTÁRIOS DOS LEITORES


Find more about Weather in Coimbra, PO
Click for weather forecast


NEWSLETTER

Subscrever a newsletter:



Sair da newsletter:

ARRENDA-SE.NET

Quartos, apartamentos, casas, etc

RECADINHOS

Últimos recadinhos dos leitores:

Congratulations for the site. It is very nice to get more informations about Portugal. A beautiful country.
Matheus Smith 2016-07-30 23:39:20


RELÓGIO

Veja que horas são no mundo

NOTÍCIAS

Jornal O PÚBLICO

Michel Combes: “Portugal é um diamante" para a Altice
Na véspera de a ERC anunciar o parecer sobre a compra da TVI, Patrick Drahi trouxe a Lisboa o seu estado-maior para o encontro de quadros anual do grupo Altice. E anunciou a mudança de Meo Arena para Altice Arena.

EDP garante protecção "bem constituída" das linhas eléctricas
Presidente do Conselho de Administração da empresa mostra-se "surpreendido" e refuta as conclusões do relatório do Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais, que refere que o fogo foi causado por "contactos entre a vegetação e uma linha eléctrica de média tensão" da EDP.

Inimputáveis?
A António Costa só nos resta pedir que não nos faça chorar mais, que faça de uma vez o que tem de ser feito. Porque este Governo pode ser popular, mas não pode mesmo ser inimputável. Ou será, senhor Presidente?

“Está na altura de reformular o nosso modelo” de combate a incêndios, diz Costa
Para o primeiro-ministro, assumir responsabilidades não é fazer demissões, mas pôr em prática as propostas da comissão independente e executar a reforma florestal.

Risos madrugadores, férias, contradições e zero demissões
O filme político de mais um dia trágico em que Marcelo andou sempre à frente de Costa e foram ditas algumas frases no mínimo surpreendentes.

Uma comédia chamada Estado português
“O mais fácil para mim seria a demissão”, disse a ministra da Administração Interna. Por favor, faça o mais fácil, e vá-se embora de vez.

NOTÍCIAS

Jornal EXPRESSO

(c) 2014 Portal regiaonorte.net

Termos de Serviço

Privacidade